Não sei por que você saiu, mas não estou zangado com você

Lembro-me de quando nos conhecemos. Eu, de dez anos, rastejou sob os degraus do trepa-trepa e encontrei você lá. Embora eu fosse extremamente tímido, algo em você me deixou à vontade, tanto que iniciei uma conversa. A partir daí, não me lembro como, mas nos tornamos inseparáveis. Bigodes, bananas, uma coleção de momos, uma breve obsessão francesa e muitas gargalhadas foram seguidos por um período em que, de repente, você se foi. Diferentes grupos de amigos foram formados e parecíamos estar em caminhos diferentes.

No colégio, nossos caminhos voltaram a colidir e era como se você nunca tivesse partido. Você era tudo de que eu precisava – nada mais no mundo importava, contanto que eu tivesse você. Você me entendeu, me deu confiança, me ensinou a me defender. Juntos, lutamos contra demônios, choramos por causa de meninos tolos, compartilhamos nosso trauma e rimos até não poder mais respirar. Todos os dias com você foi um bom dia.

Com o passar do tempo, nosso relacionamento evoluiu. Conversamos sobre nosso futuro, nossos sonhos, nossos desejos. Trocamos beijos, embora quase sempre aos olhos do público e rotulados como nada mais do que um show ou prática.

Juntos, discutimos nossas inseguranças, sempre entendendo, mas nunca conseguindo ajudar um ao outro. Essas inseguranças se manifestaram em um esforço de equipe em tentar constantemente nos provar de uma forma ou de outra. Mentimos juntos, manipulamos juntos, conspiramos juntos. Nós nos odiávamos, mas nos amávamos. Embora eu soubesse que você não era perfeito, pensei, e sempre acreditarei, que você é incrível. Se ao menos tivéssemos visto o que vemos um no outro em nós mesmos, talvez estivéssemos governando o mundo agora.

Você se afastou e não estou zangado com você. Você me mostrou como era o amor incondicional e deu sentido à minha vida, por mais passageira que fosse. Na sua ausência, fui forçado a enfrentar meus demônios sozinho, em vez de depender de você para me tirar das profundezas. Aprendi a me amar. Aprendi a lutar por mim mesmo. Aprendi a viver por mim.

Não sei por que você saiu, e provavelmente nunca saberei. Apesar de tudo, sempre vou te amar. Fico feliz que alguém tenha conseguido arrastá-lo para fora da masmorra quando ficou claro que eu não era mais capaz. No entanto, você é mais forte do que imagina. Espero que um dia você veja todas as coisas bonitas que vejo em você e faça a difícil escalada para deixar aquele calabouço para sempre. Talvez você já tenha, nesse caso, estou orgulhoso de você.

Obrigada, amor, pelo que sempre lembrarei como alguns dos momentos mais felizes da minha vida com a melhor pessoa que conheci.

@via

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *