Estou cansado de sempre ter que lutar pelo amor

Você me diz que os humanos são feitos para amor e ainda assim o amor não vem facilmente para nós. Neste mundo, onde ser brando é uma desvantagem. Temos paredes da altura de torres, trepadeiras subindo rastejando para alcançar o céu. Nossos espinhos nos protegem, é o que aprendemos. Deixar alguém entrar há muito tempo foi apagado de nossa codificação. Estamos apavorados com a dor que permanece nas sombras do amor. Você me diz que os humanos são feitos para amar, mas fomos ensinados a temer a vulnerabilidade.

Quando crianças, cantávamos sobre como o amor fazia o mundo girar, mas à medida que crescíamos, podíamos ver além dos óculos embaçados da infância. Nós deixamos o reino da inocência na primeira vez que seguramos nossos corações em nossas mãos, dispostos a nos separar deles no nosso primeiro Dia dos Namorados – apenas para algum aluno da segunda série torcer o nariz para o nosso cartão feito à mão cheio de purpurina.

E você pode rir, mas bem no fundo sabe que foi aí que as sementes da rejeição foram plantadas pela primeira vez. E com cada lágrima que derramamos sobre meninos e meninas que não mereciam nossos corações brilhantes, essas sementes plantadas cresceram as vinhas que rastejaram pelas paredes que foram colocadas, tijolo por tijolo, quando saímos da adolescência com o pensamento em nossas cabeças: “ Meu coração deve permanecer aqui no meu peito. Minhas costelas não são uma gaiola para me manter trancada por dentro, mas para evitar que a dor penetre e estilhace meu coração cansado ”.

Você me diz que os humanos são feitos para amar, mas por que então escrevemos canções sobre o amor ser um campo de batalha? Se fomos feitos para amar, por que é tão difícil abrir o coração para a pessoa que amamos e confiar que ela cuidará de nossos corações feridos?

“Você tem que lutar pelo que você ama.”
“Você tem que lutar pela pessoa que você ama.”

É um oxímoro, essa luta por amor. Amor e paz devem ser os opostos de guerra e luta. Esquecemos nossas raízes. Somos os girassóis que não conseguem ver além de seus caules altos, tão perto do sol que esquecemos que estamos enterrados no solo.

Esquecemos como simplesmente amar. Perdemos contato com aquelas crianças inocentes que colocam tanto esforço naqueles cartões manuscritos. Derramando amor no papel, com cada respingo de purpurina que caberia na página. Colocamos esses sentimentos em uma caixa e os enterramos bem no fundo de nós para não ousarmos tentar descobri-los. Nós os enterramos sob sentimentos de medo, rejeição e mágoa.

Você me diz que os humanos são feitos para amar, e eu não acredito em você. Talvez há muito tempo, antes do medo que paira em todos os cantos deste mundo. Agora, nós lutamos por isso. Temos que lutar por isso. Lutamos contra todo o comportamento aprendido que reescreveu qualquer código de amor e confiança que já existiu.

Eu gostaria que fôssemos feitos para amar. Eu gostaria que fosse tão simples assim. Eu gostaria que o amor viesse tão facilmente quanto a água que flui por um riacho. Estou cansado de lutar por aquilo que sei que mereço. Estou cansado de ter muito medo de me permitir amar e amar profundamente.

Talvez seja por isso que desejamos que os filhos nunca cresçam. Para que nunca aprendam a temer, e só saibam como abraçar o amor glorioso.

@via

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *