A dúvida é o melhor amigo secreto da sua intuição

Pode parecer simplesmente incongruente que dúvida e intuição pode ser o melhor dos amigos. Sim, quero dizer melhores amigos. BFFLs. Aliados. Sua Magic 8 Ball interior.

Pode até surpreendê-lo que eles possam dançar juntos lindamente com delicada sincronicidade entrelaçada e, por meio de sua união, criar precisão de percepção significativa.

Juntas, a intuição e a dúvida podem trazer alegria ao apoiar o desdobramento positivo de eventos em sua vida.

Se permitido, esses dois processos podem ficar felizes juntos. Ao fazer isso, eles o ajudam a escolher seu sabor favorito de sorvete, informam que vale a pena jantar com o pretendente em potencial e oferecem uma visão sobre qual novo papel específico é o caminho mais interessante para você seguir na vida.

No entanto, a experiência da dúvida é a principal razão pela qual muitas pessoas afirmam que não são intuitivas. Ou acreditam erroneamente que não são muito adeptos do uso correto ou eficaz de sua intuição em suas vidas.

Ser intuitivo é um nível saudável e normal de percepção sutil, que todos nós usamos em nossas vidas diárias, estejamos ou não conscientes disso.

E a aparência de dúvida não é um indicador de que você não é intuitivo ou impreciso com sua intuição.

Normalmente, a menos que você tenha um relacionamento livre, natural ou bem experimentado com sua intuição, a primeira coisa que surge quando você tem uma consciência intuitiva é a dúvida. Mesmo que você tenha um ótimo relacionamento com sua consciência intuitiva, a dúvida ainda surge. Por quê?

Porque a própria dúvida pode e é uma função saudável da intuição.

Na verdade, pode ser o melhor amigo da intuição. A dúvida saudável é uma função do seu espírito e alma, da sua consciência, do seu eu superior (ou como quer que você nomeie e se relacione com a consciência orientadora), guiando-o cada vez mais profundamente.

Mas aqui está o desafio: a dúvida que preenche a lacuna após a intuição. Essa dúvida é sua melhor amiga? Ou é o primo infeliz e desagradável da dúvida do melhor amigo: sabotando, paralisando, a dúvida zombeteira?

Veja como discernir com qual dúvida você está lidando: dúvida zombeteira ou dúvida amigável.

A dúvida zombeteira geralmente é uma função de seu crítico interior ou das vozes absorvidas e internalizadas daqueles ao seu redor, sua cultura, sua família ou amigos – vozes que funcionam como uma forma de mantê-lo na linha com medo ou obediência. Esta versão difícil, desagradável, transforma-nos em gelatina é a forma que todos podemos reconhecer com facilidade. Geralmente é uma arma potente de seu crítico interno ou vozes repressivas internas.

É fácil reconhecer esse primo malvado: é desagradável, desagradável, feliz em dizer abertamente que você está errado e minar qualquer exploração e investigação posteriores em sua consciência intuitiva. Ele quer interromper sua exploração ali mesmo.

Sua orientação intuitiva freqüentemente se opõe a essas limitações construídas socialmente, buscando libertar, inspirar e libertar você para ser mais saudável, com mais autenticidade e seguir seu caminho de vida único. Como resultado, você sente atrito.

Em contraste com a dúvida zombeteira, a dúvida do melhor amigo tem um papel central como refinador de sua consciência intuitiva.

A dúvida do melhor amigo age mais como uma influência estabilizadora, permitindo que você verifique sua consciência, fatos e um conhecimento interior mais profundo.

Não existe para rebaixá-lo ou envergonhá-lo por seu insight ou orientação intuitiva, mas para ajudá-lo a obter mais clareza sobre a própria intuição e como utilizá-la. Essa forma de dúvida vem do mesmo núcleo profundo e silencioso de você e de sua essência, de onde a própria intuição surge e está servindo.

Quando surge uma dúvida amigável, ela o convida a investigar mais profundamente a intuição. Ele o aproxima de sua mensagem e o orienta com mais precisão em sua interpretação e ação de mensagens intuitivas – em sua vida e no serviço aos outros.

A dúvida amigável também pode aparecer como percepção sensorial. As sensações e sentimentos corporais podem ser parecidos com “Sim, mas isso não está certo. Você está perto, mas afie mais. ” Ou pode ser ouvido diretamente como uma voz perspicaz, mesquinha ou em sua mente que diz: “Mmm, não tenho certeza se isso está correto, mas você está perto. Volte e verifique. ” Ele o treina para a frente.

Sem essa dúvida refinadora e orientadora, é muito mais difícil colocar em ação sua orientação intuitiva na vida e seguir a orientação que ela busca para você seguir.

Esta dúvida do melhor amigo tem uma mensagem que vale a pena ouvir. Reserve algum tempo para ouvi-lo e aprofundar-se. Mostre-o na porta de sua consciência e cultive um relacionamento com ele. É essencialmente de suporte e ajudará sua vida a florescer.

Em essência, a dúvida do seu melhor amigo é refinar, encorajar, aprofundar e ser positiva sobre como explorar a intuição. A dúvida zombeteira espera poder feri-lo fatalmente, matar sua consciência da própria intuição e mantê-lo sob seu controle ossudo e crítico.

Claro, nem todas as mensagens intuitivas são seguidas de dúvidas.

O conhecimento mais intuitivo é claro, direto e facilmente recebido pela sua consciência. Não há dúvidas!

Seu coração e seu corpo, falando através de seus sentidos (a consciência interior de seus corpos de sentimentos e sensações), podem responder a essas intuições precisas, dando um sinal claro de que “Ahh, sim, essa intuição está certa.

Amo minha dúvida amiga e sou grato por ela.

Quando estou explorando meu próprio processo interno, questionando uma ação a tomar ou trabalhando em colaboração com um cliente, confio em minha dúvida amigável para me ajudar a refinar minha precisão e clareza em torno do problema, das opções ou dos insights intuitivos aleatórios que recebo.

Se não houver dúvida após a intuição, e minha consciência corporal disser “Sim” quando eu verificar se há feedback e consciência mais profunda, então sei que estou no alvo.

Se a dúvida surgir, meu corpo irá confirmar a dúvida e eu sou encorajado a explorar mais profundamente. Deixo o primeiro nível de intuição se abrir para o próximo e assim por diante, retirando camadas mais profundas de informações e percepções até que a dúvida não apareça mais. Nesse ponto, o loop de feedback preciso que meu corpo fornece me dá um “Sim” consistente, pacífico e saudável à minha intuição.

Portanto, da próxima vez que você tiver um insight intuitivo, não importa o quão sutil ou forte, e a dúvida surgir, não presuma automaticamente que sua mensagem intuitiva está errada porque a dúvida apareceu logo depois.

Reserve um momento para verificar a natureza da dúvida em si. É a dúvida do melhor amigo ou o primo desagradável e ciumento que teme perder o emprego se você não ouvir?

Aprender gradualmente a discernir a diferença entre a dúvida que o apóia e a que o destrói cultivará um novo nível fortalecedor de autoconsciência, que lhe trará resultados, autoconfiança e uma capacidade mais profunda de confiar em si mesmo e em suas fontes internas de orientação. Você estará equipado com um sistema de apoio interno que o guiará para viver com mais tranquilidade e cada dia mais no seu caminho.

@via

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *